Sede da Justiça do Trabalho será inaugurada dia 26/06

DSCN4062foto do mp 1 foto do mp foto do mp 2

Os trabalhos e atendimentos no novo Fórum da Justiça do Trabalho, situado no Parque do Povo de Presidente Prudente, devem iniciar em Junho. As obras estão na fase final e, de acordo com o juiz titular da 1ª Vara Trabalhista e diretor do Fórum, José Roberto Dantas Oliva, tudo está dentro do programado para a inauguração. A construção, que começou em 2013 e teve valor contratual de R$ 7.098.066,60, fora os gastos referentes aos aditivos de contrato – valores que foram empregados no decorrer das obras – vai englobar, segundo José Roberto Dantas Oliva, uma estrutura de mais de 3 mil m² em cinco pavimentos, distribuídos em três andares, piso térreo e um estacionamento no subsolo.

Atualmente, o Fórum possui a 1ª e 2ª Varas, responsáveis por atender a demanda de processos de 17 municípios, mas está em trâmite o pedido para instalação da 3ª Vara. Oliva informa que o processo será encaminhado para análise e possível aprovação no Congresso Nacional. A inauguração será no dia 26 de Junho.

O diretor diz que a nova sede do Fórum Trabalhista – que, no momento fica no prédio do Banco do Brasil, do 7º ao 11º andar, no calçadão da Rua Tenente Nicolau Maffei – é uma expressiva conquista para a cidade e região. “É resultado de uma luta de 29 anos. Uma obra que coloca a comarca à altura e dignidade que a cidade deve estar”, aponta. Além disso, ressalta a qualidade que a estrutura vai proporcionar para a realização dos trabalhos, a partir das instalações, aos juízes, advogados, servidores e toda a sociedade que necessita de atendimento na repartição. “Um projeto bem estruturado, contendo todas as condições de acessibilidade para a população”, acrescenta o magistrado.

Estrutura

A estrutura contará com auditório; sala da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil); dois postos de atendimento bancário – um da CEF (Caixa Econômica Federal) e outro do Banco do Brasil; Serviço de Coordenadoria de Distribuição dos feitos – que corresponde aos processos; subsolo com arquivo e estacionamento (este para os membros do órgão e pessoas com deficiência); três andares – vislumbrando um para cada Vara, com a instalação da terceira; entre outras dependências. “Um espaço amplo, bem distribuído e que comporta o fluxo das pessoas até mesmo na questão de acessibilidade”, enfatiza Oliva.

Com/ Jornal  O Imparcial