Brasileiro terá que trabalhar mais para evitar desconto na aposentadoria

ORG XMIT: 145001_1.tif Idosos aguardam atendimento em agência do INSS, no centro de São Paulo (SP). (São Paulo, SP, 27.01.2009. Foto de Lalo de Almeida/Folhapress)
Idosos aguardam atendimento em agência do INSS, no centro de São Paulo

O brasileiro está vivendo mais e, como consequência, precisará trabalhar mais para evitar um desconto maior no valor da aposentadoria por tempo de contribuição.

Em 2015, a esperança de vida ao nascer no país era de 75 anos, cinco meses e 26 dias, divulgou nesta quinta (1º) o IBGE. Houve aumento, portanto, de três meses e 14 dias em relação à expectativa para os nascidos em 2014.

A expectativa de vida é um dos componentes do fator previdenciário, índice criado no governo FHC para reduzir o benefício do trabalhador que se aposenta mais cedo.

A nova tabela do fator valerá para aposentadorias solicitadas desta quinta até 30 de novembro de 2017.

Homens entre 50 e 59 anos de idade precisarão trabalhar 62 dias a mais para ter o mesmo valor de aposentadoria, na comparação com um benefício solicitado até o mês passado. Para mulheres de 45 a 54 anos, o período aumentou em 73 dias, segundo a Conde Consultoria Atuarial.

O fator previdenciário é aplicado nas aposentadorias por tempo de contribuição dos segurados que ainda não atingiram a fórmula 85/95, que dá benefício integral. O governo poderá acabar com o fator ao criar a idade mínima.

REDUÇÃO

A nova tabela do fator previdenciário, em vigor desde esta quinta, aumenta em 0,64% o desconto na média salarial dos segurados que pedirem aposentadoria a partir dos 50 anos de idade.

Essa redução no valor da aposentadoria chega a R$ 2.140,11 para o segurado que sempre teve contribuições pelo teto do INSS, que é de R$ 5.189,82 até o fim deste mês.

O desconto foi calculado considerando um segurado com 50 anos de idade e 35 anos de contribuição. Com o novo fator, a aposentadoria dele seria de R$ 2.929,89. O fator de 0,578 resulta em um benefício 42,21% menor do que a média salarial.

As mulheres perdem ainda mais com o fator. Como podem pedir a aposentadoria com 30 anos de contribuição, com cinco anos a menos de trabalho que os homens, elas acabam recebendo benefícios com redutores maiores.

É o caso da mulher que contribuiu 30 anos e já pode se aposentar aos 45 anos. Se tiver uma média salarial de R$ 5.070, ela terá uma aposentadoria de R$ 2.484,99.

Com o fator, a segurada acaba com uma aposentadoria que é menos da metade da média de seus maiores salários, uma redução de 50,99%. Em comparação com a tabela válida até novembro, os benefícios delas ficarão 0,66% menores.

Os índices da nova tabela de descontos das aposentadorias foram calculados pelo atuário Newton Conde, da Conde Consultoria, especializado em Previdência.

A reforma da Previdência, em discussão pelo governo do presidente Michel Temer (PMDB), deve alterar a aplicação do fator e da fórmula 85/95, que dá benefício integral.

Fonte : Folha/Uol